21.2.08

Canto para Angola


Hei-de compor um dia
um canto sem lirismo
nem tristeza
digno de ti, ó minha terra.


Hei-de compor um canto
livre e sem regras
que de boca em boca vai partir
nos lábios dos velhos e meninos.


Será o canto do pescador
com todos os sons dos mar
com os gemidos do contratado
nas roças de São Tomé.


Será o canto de todos os dramas
do algodão do Lagos & Irmão
o das tragédias nas minas
da kitoka e da Diamang.

Será o canto do povo
o canto do lavrador
e do estudante
do poeta
do operário
e do guerrilheiro
falando de toda Angola
e seus filhos generosos.

(Assim se fez madrugada)


Joffre Rocha (poeta angolano)