4.4.08


Desafio




Até parece
que a Sul o tempo parou
até parece que o sol
que nos queima
é obtuso e sisudo
até parece
que fomos privados
do apetite
da vontade
da lucidez
até parece
que irrompemos
d'algum ventre enteado
palavra que parece
Até parece que perdemos o Norte
e que o Sul é recóndito
confinado à malvadez
e cozinhados da fa má
Sul é amargo da boca
e o santo na mão
Será sina castigo ou destino
marcado nos porões negreiros?
E o desespero a fome
a doença os bolsos minguados
todos esses fiéis companheiros
serão mosteiros
ou simples penitência
para salvar a alma do corpo sofredor?
Mas palavra que apetece
soltar um grito
e desafiar de vez
esta força imensa
que se alimenta da minha dor
da nossa dor!

Tony Tcheka (poeta guineense)